Sophie Taeuber-Arp

– uma das principais figuras da arte abstrata e do Movimento Dada na Suíça

Sophie Taeuber nasceu em 19 de janeiro de 1889, em Davos, Suíça.

Formada em artes plásticas pela Escola de Arte Aplicada de Hamburgo, foi professora na Escola de Artes e Ofícios de Zurique. Em 1915, tomou parte do “Movimento Dada”, junto a outros artistas, entre os quais Jean Arp, com quem se casou em 1921.

A partir de 1928, passou a morar na França e, em 1930, participou da exposição internacional de “Arte Abstrata e Tendências Construtivas” do Movimento Círculo e Quadrado. Ainda dentro da proposta desse grupo, George Vantongerloo e Sophie Taeuber fundaram o Grupo Abstração – Criação.

No período da Segunda Guerra, refugiou-se em Grasse, no sul da França, onde produziu intensamente, com a colaboração de Alberto Magnelli, Jean Arp e Sonia Delaunay.

O trabalho de Taeuber-Arp orientou-se na busca da significação e da máxima liberdade, traduzindo-se numa grande riqueza de invenção. Seu valor de pesquisa e inovação para a Arte Abstrata Geométrica tem sido cada vez mais reconhecido.

Dissidente quanto ao rigor das relações ortogonais e das linhas e quanto ao uso de cores primárias, seus trabalhos são os mais dinâmicos pelo uso de ortogonais e de cores variadas.

Sophie Taeuber-Arp morreu vítima de um acidente (por intoxicação por monóxido de carbono) em 1943, durante uma viagem à Suíça.

Obs. O Dadaísmo, ou simplesmente “Dadá”, foi um movimento artístico pertencente às vanguardas europeias do século XX, cujo lema era: “a destruição também é criação”. … Isso porque, através da ironia, buscava questionar a arte e, sobretudo, seu contexto histórico, com a ocorrência da Primeira Guerra Mundial.

Comente