“Roubaram minha infância”

Siegfried Glatt nasceu em1928, em Berlim. Desde criança todos o chamavam de Freddy. Nasceu na época do nazismo que surgia e tomava conta da Alemanha.

Em 1940 a Segunda Guerra Mundial expandiu-se pela Bélgica e Holanda. Freddy morava em Bruxelas com sua mãe e seus dois irmãos. Seus pais estavam separados há bastante tempo.

Viviam escondidos e trocando de endereço constantemente, passando fome, frio e medo. Freddy ficou abrigado em um mosteiro na Bélgica cuidado pela JOC (Juventude Obreira Cristã), permanecendo nesse local até o final da guerra.

Freddy Glatt lançou neste domingo, 15 de abril, seu livro autobiográfico “Roubaram minha infância”, na livraria da Travessa do Shopping Leblon. É, sem dúvida, a história verídica de um sobrevivente do holocausto. Apesar de triste, fica interessante observar como o autor trata do assunto de forma singela e poética.

A sobrevivência nesse período de fuga da família dependia muitas vezes de furto de ovos, galinhas e outros alimentos. Freddy nos conta sobre a diversidade dos espaços percorridos, como também da necessidade de aprender vários idiomas.

É um livro comovente, contado por um menino que, no meio de tanta dor, relata suas memórias e de sua família, com rara sensibilidade, conseguindo até apreciar a beleza da vida em alguns momentos em que pese todo o horror da guerra.

Um comentário

  1. Sylvia Kresch
    Sylvia Kresch 17 de abril de 2018 at 13:59 |

    Tantas historias diferentes sobre o mesmo tema. Em comum: sobreviver

    Responda este comentário

Comente