Peter Altenberg , escritor austríaco modernista


Richard Englander nasceu em 9 de março de 1859, em Viena, Império Austríaco. Foi um escritor do movimento literário modernista. A origem do nome “Altenberg” vem de uma pequena cidade às margens do rio Danúbio.

Escolheu o “Peter” para homenagear um amor não correspondido no passado. Richard cresceu em uma família de judeus de classe média, abandonando a faculdade de medicina e adotando a boemia como estilo de vida. Ele usava roupas femininas, cultivava uma aparência andrógena e tinha uma caligrafia delicada. Desprezava a masculinidade, o termo “macho”.

Altenberg foi um dos principais proponentes do impressionismo vienense. Ele era mestre em histórias curtas e eróticas, baseadas em sua observação atenta de eventos da vida cotidiana.

No fim do século, quando Viena era o centro de artes e cultura modernas, Altenberg exerceu uma grande influência no movimento literário e artístico conhecido como “Young Vienna”, sendo contemporâneo de Karl Kraus, Gustav Mahler, Arthur Schnitzler, Gustav Klimt e Adolf Loos. Ele era um pouco mais velho que seus colegas. Sua obra consiste em pequenas peças poéticas em prosa que não se encaixam facilmente em categorias formais usuais.

Tornou-se conhecido em toda Viena após a publicação de um livro de observações fragmentárias de mulheres em atividades cotidianas nas ruas. Como a maior parte de sua obra literária foi escrita enquanto frequentava vários bares e cafeterias vienenses, Altenberg algumas vezes é referido como um cabaré ou poeta de café. Sua cafeteria favorita era o Café Central, onde recebia sua correspondência.

Os detratores de Altenberg dizem que ele era viciado em drogas e um mulherengo. Havia rumores também que tinha problemas com alcoolismo e doença mental. No entanto, seus admiradores o consideravam um indivíduo altamente criativo, com um grande amor pela estética, natureza e jovens garotas.

Altenberg como muitos escritores e artistas, estava constantemente sem dinheiro, mas era adepto de fazer amigos, cultivar clientes e convencer os outros a pagar suas refeições, seu champanhe e até mesmo seu aluguel. Ele quitou dívidas com seu talento, sua inteligência e seu charme.

Peter Altenberg nunca se casou, morreu em 8 de janeiro de 1919, aos 59 anos, e está enterrado no Cemitério Central, em Viena, Áustria.

Comente