País em ebulição

Estive fora um mês. Deixei uma terra quente e volto com a terra em ebulição. Israel deve ser o paraíso dos jornalistas: a todo instante acontece alguma coisa, nem sempre algo que mereça destaque, mas é sempre diferente do que se noticiou há uma hora.

Gaza continua nas manchetes e na sexta feira atingiu o cume com a morte de um soldado israelense nos atritos junto à fronteira. O primeiro que morre em Gaza, desde o conflito militar Tzuk Eitan, há 4 anos.

Israel revidou com um ataque aéreo maciço ao longo da Faixa de Gaza: em Chan Yunes no sul, em El Bureig’ no centro e em Zeitun no norte, destruindo 60 objetivos militares do Hamas como quarteis de treinamento, depósitos de explosivos, postos de comando, centros de controle militar e postos de observação.

Desta vez Hamas entendeu que a brincadeira de 111 dias com balões e pipas incendiárias tem um preço elevado. Que 25 mil dúnames de terra plantada é trabalho de 70 anos e custos elevadíssimos.

Em poucas horas várias linhas de socorro estavam funcionando: o Egito, o enviado da ONU, Nicolai Maladnov, Qatar, pedindo cessar-fogo.

O Hamas nunca esteve tão fraco como agora, mas recebe 70 milhões de dólares do Irã  para manter este ping-pong de foguetes contra Israel, além de receber 84 Milhões de dólares (por mês!!!) da Autoridade Palestina, dinheiro que não é usado para o bem estar da população e, sim, para manter terrorismo aceso.

Os Estados Unidos cortaram 300 milhões de dólares da ajuda a UNRA, que dá apoio à população necessitada, de modo que o problema humanitário atingiu proporções gravíssimas e Israel não vai conceder facilidades à Gaza, enquanto perdurar a situação de ataques repetidos de foguetes e esta Marcha que não levou a lugar nenhum.

Como escreveu Nahum Barnea no Yediot Aharonot,”em Gaza quando termina, não acaba” , o que é uma grande verdade.

Veremos quanto tempo vai durar .

A LEI DA NACIONALIDADE


Mais uma lei anti democrática de autoria do Likud e seus parceiros de governo. Uma lei desnecessária, que vem só aprofundar as diferenças entre árabes e judeus israelenses. Para que dizer que Israel é um país de judeus? Já está escrito na Declaração de Independência. Por que desfazer o ” Pacto de Sangue” com os drusos , que lutam ombro a ombro com os judeus na Tzavá? Para que tirar da língua árabe, que é a segunda língua do país, a sua posição de importância?
Cerca de 25% da população de Israel é árabe mas são israelenses há várias gerações, por que acentuar as diferenças e não unir as semelhanças?

A votação no plenário da Knesset demonstra que quase a metade do Parlamento foi contrária a esta lei: 57 contra , 62 à favor .
Nota ZERO.
A Corte Suprema já está recebendo as petições .

LEI DA BARRIGA DE ALUGUEL


Outra lei que está causando grande polêmica é a que regulamenta o processo da “barriga de aluguel” , termo usado pelo povo.

Israel é um dos poucos países que subvenciona tratamento para infertilidade em mulheres com mais de 40 anos , porque a procriação é muito importante dentro dos princípios judaicos.

Porém, o desenvolvimento da medicina ginecológica colocou mais esta possibilidade diante dos casais que anseiam  trazer filhos ao mundo. Como a comercialização de órgãos para transplantes é proibida por lei, este processo, embora não haja transplante e sim o uso de um órgão para benefício de terceiros, era também radicalmente proibido.

Mas para casais desiludidos de todos os tratamentos permitidos, tudo é possível para conseguir a meta e muitos viajavam para o exterior, para países onde o uso de barrigas em troca de dinheiro é permitido  para conseguir uma criança.

Não era nada fácil, muito caro e muitas vezes terminava em processos judiciais. Mesmo assim, muitas dezenas de crianças nasceram e novos problemas eram criados pelo rabinato com relação à condição judaica do recém nascido.
Contudo, inclusive casais homosexuais conseguiram se tornar pais.

Agora, finalmente, foi legislada uma lei que concede à mulher casada, que não conseguiu engravidar pelos processos médicos permitidos, o direito de usar a barriga de aluguel, de acordo com todos os ítens da lei. O mesmo direito foi concedido à mulheres solteiras, que não foram bem sucedidas com o tratamento hormonal antes da inseminação artificial.

Pronto! começaram os protestos. ” A lei é injusta, descriminatória , por que só a mulher? Por que não os homens? Porque são homosexuais não tem direito à paternidade? ”

Resumindo: no domingo, em pleno jejum de Tishá beAv, passeatas em todas as cidades,vias de tráfego obstruídas e à noite, mais de 60 mil manifestantes ocuparam a Kikar Rabin em Tel Aviv, numa demonstração de solidariedade com os prejudicados com a lei.Muitas petições serão apresentadas ao Supremo Tribunal.
Não se descansa neste país.

AJUDA DE ISRAEL AOS CAPACETES BRANCOS SÍRIOS


Durante os sete anos de guerra na Síria, uma organização civil de voluntários, salvou, tratou, ajudou a população cívil síria nas cidades e vilarejos bombardeados pelas forças militares sírias, russas e outras milícias aliadas do governo de Assad.

Agora, no final da guerra, estes heróis anônimos, que salvaram vidas expondo em perigo as suas próprias, se viram ameaçados de ter o mesmo destino dos milhares de cidadãos sírios que morreram na guerra.

Os ataques de Assad junto com as forças russas no sul da Síria, o último refúgio destes voluntários considerados pelo governo como terroristas, os deixou sem defesa e sem caminhos para fugir.

Vários países que os ajudaram durante as batalhas resolveram empenhar esforços conjuntos para salvá-los e Israel foi o braço estendido para retirá-los das áreas de combate e transportá-los através de sua fronteira até a Jordânia, de onde serão enviados para Inglaterra, Alemanha e Canadá, que os receberão como refugiados.

O Exército de Israel organizou toda a logística para salvar mais de 400 Capacetes Brancos e sua famílias que chegaram sãos e salvos ao destino.

ESPORTE


A Seleção reserva de Basquete de Israel ( jogadores até 20 anos ) é a vencedora do Campeonato Europeu, ganhando na final a Seleção da Croacia.
Parabéns aos jovens campeões.

POLÍTICA PARTIDÁRIA
A deputada Tzipi Livni foi escolhida para Chefe da Oposição na Knesset , em substituição ao deputado Ytzhak Herzog que foi eleito para o cargo de presidente da Agência Judaica –Sochnut Hayehudit .

Kol Hakvod !

VISITA INESPERADA

Nesta tarde de segunda feira, o Ministro do Exterior da Rússia, Sergei Labrov esteve em Jerusalém para um encontro urgente com o primeiro ministro Netanyahu.

O ministro russo veio acompanhado do Chefe do Estado Maior e outras altas patentes militares russas.Informações não oficiais dizem que o visitante veio discutir com Netanyahu o afastamento das forças militares do Irã  para 100 km além da fronteira de Israel.

Outros informes dizem que a situação em pauta é Gaza. Até o momento que escrevo estas linhas não foram anunciadas nenhuma das duas hipóteses.
Aqui já é noite. Amanhã será outro dia com novas notícias.

SHALOM ME ISRAEL

Um comentário

  1. manoel adler
    manoel adler 27 de julho de 2018 at 23:47 |

    CONTINUO DIZENDO,VALE A PENA LER OS ARTIGOS E COMENTÁRIOS SÃO SÉRIOS E NÃO MANIPULADOS COM INTENSÕES ANTIJUDAICAS.
    Por que não torna-los mais divulgados? obrigado

    Responda este comentário

Comente