Otto Stupakoff, precursor da fotografia de moda no Brasil

Otto Stupakoff nasceu em São Paulo, em 28 de junho de 1935. Foi um fotógrafo brasileiro de moda. Stupakoff estudou no “Art Center College of Design” de Los Angeles (1953-1955), época em que trabalhou como correspondente fotográfico da Revista Manchete.

Ao retornar ao Brasil, estabeleceu-se em São Paulo, num estúdio de fotografia, atuando no campo da moda e da publicidade.

Em 1965, no auge do seu sucesso no Brasil, mudou-se para Nova York e colaborou em diversas publicações, entre essas, as revistas Life e Look. Além das fotos de moda ele se destacou pelos retratos feitos de celebridades.
Stupakoff foi também responsável por centenas de ensaios para grandes revistas, como Vogue, Harper’s Bazaar, Cosmopolitan, Elle e Esquire. Quando instalou-se em Paris, entre 1973 e 1976, fotografou para a Vogue, a Elle e a Stern, entre outras. Retornando ao Brasil em 1976, permaneceu até 1980. Em 1981, mudou-se para Nova York, tornando-se cidadão americano em 1984.

Recebeu o Prêmio Especial do Júri do “Art Directors Club” (Paris, 1981) e o “DuPont Award”(Paris, 1986).

Tom Jobim

Entre as personalidades fotografadas por Stupakoff , citaremos apenas algumas: Truman Capote, Richard Nixon, Bette Davis, Grace Kelly, Sharon Tate , Sophia Loren, Jack Nicholson, Tom Stoppard , Paul Newman, Jorge Amado, Kate Moss, Antônio Carlos Jobim, Pelé, entre outros. Foi um dos primeiros brasileiros a integrar o acervo do Museu de Arte Moderna de Nova York.

Também realizou trabalhos importantes de foto-jornalismo. Chegou a ser preso e interrogado e quase morto por soldados do Khmer Rouge, em 1994, ao fotografar as ruínas de “Angkor Wat” e os “Killing Fields”, nas selvas de Battambang. Suas fotos do Camboja foram exibidas na Academia de Ciências de Nova York e leiloadas para arrecadar fundos para as vítimas de minas terrestres.

Foi ao Ártico quatro vezes fotografar os esquimós e seus iglus. Otto foi professor de fotografia na “Parsons The School for Design”, em Nova York.

Vivia em São Paulo desde 2005, ano em que comemorou seus 50 anos de carreira, realizando uma retrospectiva de sua obra no prédio da Bienal, durante a “São Paulo Fashion Week”. A mostra, denominada “Moda sem fronteiras”, foi organizada pelos fotógrafos Bob Wolfnson e Fernando Lazlo. Uma semana após foi lançado “Otto Stupakoff”, pela editora Cosak & Naify.

Em 2008 um acervo de aproximadamente 16 mil fotos foi incorporado ao Instituto Moreira Salles.
Otto Stupakoff sofria de Alzheimer e faleceu na madrugada do dia 22 de abril de 2009, em um apart-hotel de São Paulo. Tinha seis filhos, de três casamentos, e onze netos.

Otto Stupakoff – beleza e inquietude –depoimentos

Comente