“Os Invisíveis” – filme de Claus Räfle


Em cartaz um filme que conta a história de judeus berlinenses que conseguiram se salvar na Segunda Guerra na clandestinidade, tornando-se “invisíveis”.

Claus Räfle é um roteirista de sucesso na Alemanha e tem predileção pelo período nazista. Os protagonistas são quatro jovens entre 16 e 20 anos que sobreviveram com apoio de cidadãos alemães. Recorreram a diversos expedientes e contaram muitas vezes com a sorte para escapar ao terrível destino.

A história vai sendo narrada como um documentário, combinando os depoimentos dos sobreviventes e material de arquivos e recriações dramatizadas por atores.

A órfã Hanni (Alice Dwyer) decide se “arianizar”, tinge seu cabelo de loiro e passa o tempo em lugares pouco prováveis para uma judia perseguida, misturando-se com a multidão.

Ruth Arndt (Ruby O. Fee) finge-se viúva de Guerra e trabalha na casa de um oficial da Wehrmacht que sabe da farsa, mas não a trai.

Eugen Friede (Aaron Altares) esconde-se com amigos do padrasto, mais tarde é acolhido por uma família em cuja casa usa uniforme da juventude hitlerista.

A história mais incrível é a de Cioma Schönhaus (Max Mauff), que consegue escapar da deportação por trabalhar em uma fábrica de armas. Depois passa a falsificar documentos para fugitivos, ganha dinheiro e compra um barco. Schönhous enfrenta situações com muito sangue frio.

Alternando documentário e ficção, os depoimentos dos personagens e a dramatização de suas histórias se completam e se equivalem em qualidade, causando impacto sobre o espectador. O filme emociona.

Comente