Oi Gaza, Gaza…

Netanyahu com o Sultão de Omã

Na edição da semana passada, escrevi que a sexta feira que a antecedeu havia sido mais tranquila na fronteira e que provavelmente poderia significar que as conversações para um acordo de cessar-fogo entrariam num processo de aceleração.

Todos erraram nas previsões.

Durante toda a semana, houve uma escalada e os balões explosivos e incendiários causaram dezenas de incêndios. Neste fim de semana, 40 foguetes foram lançados contra Israel, as baterias do Domo de Ferro trabalharam horas extras e a população do sul de Israel correndo para os abrigos contra os ponteiros do relógio.

A aviação israelense realiza ataques às fontes de disparo, mas na ausência de uma decisão governamental, não se atinge a meta principal. Os 90 objetivos militares do Hamas e da J’ihad Islâmica foram destruídos pela aviação israelense na noite de sexta feira para sábado.

O ministro da Defesa, Avigdor Liberman, não perde uma oportunidade de ameaçar o Hamas com “um golpe forte, que como tal, ainda não receberam”, mas por enquanto, o golpe está chegando da direção contrária.

No sábado, o Comando do Estado Maior, se reuniu mais uma vez, para traçar as metas que serão submetidas a aprovação do governo.

O Hamas declarou que os foguetes foram disparados pela J’ihad, porém para Israel, não importa quem atirou, a responsabilidade é do governo de Gaza e o governo é o Hamas.

Na tarde de sábado , fontes palestinas anunciaram que foi decretado cessar fogo , o que não foi confirmado por Israel.

As mesmas fontes apresentaram um ultimato a Israel: a transferência de 15 milhões de dólares, em efetivo, até a próxima quinta feira, caso contrário, reiniciariam as violências na fronteira bem como o disparo de foguetes.

Israel declarou que não aceita nenhum ultimato e que continuaria a defender os seus cidadãos no tempo e na hora que determinar.

No domingo à tarde, o Gabinete de Segurança se reuniu , mas não foram divulgadas quais as decisões tomadas.

VISITA SECRETA
O primeiro ministro Netanyahu foi convidado pelo sultão de Omã, Kabos ben Said al-Said, para uma visita oficial de 24 horas , que foi mantida em segredo até o regresso de Netanyahu.

Omã e Israel não mantem relações diplomáticas , mas há mais de 20 anos, Shimon Peres e Ytzhak Rabin tambem se encontraram com o sultão Kabos ben Said.

Netanyahu viajou na quinta feira de manhã, acompanhado pelo chefe do Mossad, Yosi Cohen, pelo assessor de Segurança Nacional, Meir Ben Shabat, pelo diretor geral do Ministério do Exterior, Yuval Rotem, pelo chefe do gabinete, Yoav Horovitz e pelo seu secretário militar, tenente coronel Avi Blot.

De forma não protocolar, Sarah Netanyahu, acompanhou o seu marido. No encontro entre os dois líderes  foi discutido o problema israelo-palestino, bem como os caminhos para o estabelecimento de Paz no Oriente Médio.

Dias antes da visita de Netanyahu, o sultão de Omã recebeu o presidente da Autoridade Palestina, Abbu Mazen.

ESPORTE

Miri Regev em Abu Dhabi

GRAN SLAM DE JUDO EM ABU DHABI

Israel está participando do Campeonato Internacional de Judo que está sendo realizado nestes dias em Abu Dhabi.
Pela primeira vez os atletas de Israel estão usando uniformes oficiais com os símbolos do país, o que foi proibido nos anos anteriores.
Este ano, a Federação Internacional de Judô, em reunião realizada em julho 2018, comunicou a Federação de Abu Dhabi, que o torneio seria suspenso se Israel não pudesse participar com os direitos dos demais países participantes, ou seja, com seus símbolos, bandeira e hino nacional.

No esporte não há política. Abu Dhabi cedeu, mas usou de má fé.

Em todos os torneios internacionais, as bandeiras de todos os países participantes são hasteadas nas áreas públicas. Este ano em Abu Dhabi não hastearam bandeiras. assim  não foi necessário hastear a bandeira de Israel.

A seleção de judô de Israel, já ganhou três medalhas de bronze: Gili Cohen, Timna Nelson Levi e Baruch Shamailov, foram os medalhistas.

A medalha de ouro, na categoria até 81 kg  ficou com Muki Sagi e pela primeira vez em Abu Dhabi os sons do hino Hatkva foram ouvidos, deixando os atletas israelenses muito emocionados.

Na categoria até 100 kg, outro judoca de Israel ganhou a medalha de ouro – Peter Paltzik – e novamente o Hatikva foi ouvido em Abu Dhabi.

A ministra da Cultura e Esportes, Miri Regev, foi convidada pelos organizadores para assistir ao Campeonato. Em Qatar  está sendo realizado o Campeonato Internacional de Atletismo e Israel está participando também, além do Campeonato Europeu de Jiu Jitsu para Jovens, em Bolonha, onde Nimrod Raider recebeu a medalha de ouro.
Kol Hakavod aos atletas israelenses !

ELEIÇÕES MUNICIPAIS
Neste dia 30 de outubro  serão realizadas em Israel as eleições municipais. Cerca de 6.6 milhões de eleitores estarão exercendo o seu direito de voto em 11 mil urnas dispostas em 62 cidades, municípios, Conselhos regionais em todo o país.

Para ser eleito, o candidato necessita receber 40% dos votos, caso contrário, os dois candidatos que receberam o maior número de votos, concorrerão no segundo turno.

Por hoje é só.

SHALOM ME ISRAEL

Comente