Foguetes cruzam o céu

No kineret onde caíram dois mísseis

A semana que passou  foi repleta de tensões, de riscos de guerra, com foguetes cruzando os céus no norte e no sul de Israel.

Começou com um avião sírio que cruzou o espaço aéreo de Israel e derrubado por um míssel Patriot. No dia seguinte, dois foguetes foram disparados em direção a Israel, mísseis russos com ogivas de 500 kg de material explosivo, que depois ficou esclarecido que o objetivo não era Israel e sim contra as milícias do Daesh. No terceiro dia, dois foguetes caíram no Kineret, a menos de 100 metros de uma das praias.

Tudo isso acontece quando em Israel é verão, férias escolares e milhares de famílias viajam para passear, as praias do Kineret transbordando de banhistas e todo o norte com as suas atrações recebe turistas e locais que aproveitam as férias para desfrutar das suas belezas naturais.

Em cada um destes acontecimentos, as sirenes disparam e ninguém sabe o que está acontecendo. São apenas alguns minutos que parecem uma eternidade.

Felizmente não houve vítimas e as autoridades militares responsáveis pela segurança da retaguarda se apressam a informar que não há perigo e que todos podem continuar normalmente nos seus passeios.

Depois que passa, é simples contar, mas foram momentos de muita apreensão. Em Gaza, o cessar-fogo não durou mais do que 3-4 dias e novamente a aviação israelense foi posta em ação. Já é monótono voltar sempre à mesma mantra.

Para completar, no fim de semana, um terrorista, jovem de 17 anos, entrou numa colônia –Adam- próxima a Jerusalém  e esfaqueou três moradores, um dos quais, morreu no local. Quando chegará a Paz tão almejada?

DE UM POLO A OUTRO: AVIV GEFEN EM FOCO


O famoso cantor e compositor Aviv Gefen conseguiu entrar na lista dos grandes músicos da atualidade.  A Warner Music assinou um contrato de gravação de álbuns que Gefen faz em parceria com o Blackfield inglês, como também das músicas que ele compõe e canta.

O cantor declarou que esta é a oportunidade de chegar com a sua música ao grande público.  Realmente ele merece .

ESPORTE


Novamente o judoca israelense Uri Sasson brilhou no Grand Prix realizado em Zagreb, Croácia. Ficou em 2º lugar, trazendo a medalha de prata. Este torneio é um dos critérios de indicação para participar da próxima Olimpíada em Tóquio.

INVERSÃO DE CRITÉRIOS
A jovem palestina Aeda Tamimi, que se popularizou na mídia internacional, por agredir e ofender um soldado israelense, foi libertada no domingo depois de cumprir 8 meses de prisão. Foi recebida por dezenas de adeptos da violência contra Israel e foi vista nas TVs mundiais .

O presidente da Autoridade Palestina, Abbu Mazzen, concedeu à jovem agressora, as honras de heroína, sendo recebida na sede do governo em Ramalla, onde depositou uma coroa de flores no túmulo de Arafat . Declarou que vai continuar a sua luta contra a ocupação israelense na Palestina.

E OS BARCOS VOLTARAM


Os ativistas em favor dos palestinos deveriam usar uma pouco mais de criatividade nas suas ondas de protesto e não repetir sempre a mesma ideia.

Outro barco, vindo de um porto europeu navegou em direção à Gaza com o objetivo de romper o cerco marítimo.
Os passageiros, 22 ativistas pro-palestinos e jornalistas, de diferentes países do mundo, inclusive dois israelenses.
Foram prevenidos pela guarda costeira de Israel, que seriam abordados se entrassem nas águas proibidas pelas leis internacionais.

Como não atenderam ao aviso, a marinha de Israel impediu a continuação do “cruzeiro”, mas os ativistas comunicaram que não iriam se opor à prisão.

Assim sendo a embarcação foi conduzida ao porto de Ashdod, onde após a burocracia e exame dos volumes catalogados como donativos para melhoria do problema humanitário de Gaza, tudo se resolveu sem violência desnecessária e os viajante foram “convidados” a voltar para o pais de origem.
O nome do navio : Al-Avda ( retôrno, em árabe ). Valor declarado dos bens : 75 mil Euros. Como se esta importância pudesse ajudar em algo às necessidades primárias da população de Gaza. Pura propaganda. Tem mais alguns barcos na fila para o mesmo cruzeiro.

FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA EM JERUSALEM
Entre 26/7 a 5/8 , está sendo realizado o 35º Festival Internacional de Cinema em Jerusalém. A abertura foi na Breichat HaSultan, frente aos muros da Cidade Velha.

Mais de 200 filmes, de 60 países serão exibidos, nos mais variados estilos: clássico, moderno, aventuras,documentários  etc, inclusive um filme – The Trial – que relata o Impeachment da presidente Dilma Roussef. São 11 dias de festa para os apreciadores do cinema.

A LEI DA NACIONALIDADE -HOK HALEOM

Famílias drusas enlutadas

Está causando uma onda de protestos, mesmo entre partidários da coalização, com os ministros Benet ( Habayt Hayehudi ) e Kachlon (Kulanu), que alegam que a votação foi muito rápida e alguns itens merecem ser corrigidos .

Diga-se de passagem, que a redação da lei levou alguns anos, mas ficou engavetada. Cerca de 180 intelectuais, escritores, professores, acadêmicos, gente do mais alto nível da intelectualidade israelense, assinaram uma petição pedindo abolição da lei, que é inútil e só vai conseguir acentuar as diferenças já existentes na sociedade israelense tão complexa.

Na Declaração da Independência de Israel, que é a lei básica do país, está bem claro que Israel é um país judeu e democrata, é a pátria de todos os judeus, sem descriminar as outras minorias que vivem no país, gozando de todos os direitos sem distinção de credo, cor , sexo e origem.

Os druzos estão muito revoltados, pois embora sendo uma minoria – 150 mil – são muito integrados na realidade israelense, fazem serviço militar e se projetam na carreira de oficiais.

Alegam que esta lei os transforma em cidadãos de 2ª classe e que os seus mortos nas guerras de Israel estão sendo injustiçados.

No próximo sábado  será realizada uma manifestação de protesto na Kikar Rabin em Tel Aviv. O presidente de Israel, Reuven Rivlin, recebeu uma delegação de autoridades drusas declarando que a lei merece ser revista para que não possa ser interpretada como discriminatória e anti democrática.Uma pequena lembrança : o presidente Rivlin é do Likud.

Vou ficando por aqui desta vez .
SHALOM ME ISRAEL

Comente