Depois dos Chaguim


A semana passada foi curta, começou na 3ª feira, pois até 2ª feira era feriado, de modo que esta semana, depois de um mês, a vida volta ao normal e a semana se iniciou no domingo.

Entre os acontecimentos da semana que passou, alguns fizeram manchete, como a visita da Chanceler da Alemanha, Angela Merckel, que veio acompanhada de alguns membros do seu ministério. A visita foi curta, apenas 24 horas, mas muito positiva.

Merckel aterrissou ás 19 h de 4ª feira, dia 3 , sendo recebida no aeroporto Ben Gurion pelo ministro Tzahi Hanegbi.

Do aeroporto seguiu para a residência oficial do primeiro ministro, em Jerusalém  para um jantar íntimo com o casal Netanyahu.

Na 5 ª feira, visitou o Yad Vashem, se encontrou com o presidente Rivlin, recebeu o título de “Doctor Honoris” na Universidade de Haifa e no final da tarde  foi realizado um encontro da Chanceler e seus ministros com Netanyahu e os ministros do seu gabinete.

Esta é a sétima visita de Merckel em Israel nos últimos 10 anos, o que demonstra o profundo relacionamento da Chanceler com Israel.

Neste encontro foram debatidos projetos de cooperação mútua entre os dois países nos setores de segurança, ciência, cultura , economia e tecnologia.

Paralelamente, o vice Chanceler e ministro da Fazenda, Olef Shultz, se encontrou com o Secretário Geral da Machané Hatzioni, Avi Gabai.

À noite, Angela Merckel e sua comitiva, embarcaram de volta a Berlim.

NETANYAHU DE VOLTA ÀS INVESTIGAÇÕES
Na manhã de 6ª feira, o primeiro ministro Netanyahu foi novamente interrogado, pela 12ª vez, nos processos de investigação como suspeito em receber suborno.

PUTIN CUMPRE O PROMETIDO
A primeira bateria de foguetes anti aéreos sofisticados S-300 já desembarcou na Síria e está sendo montada para entrar em ação.

Estes foguetes vão dificultar muito os voos de aviões israelenses no espaço aéreo sírio, pois são dotados de muita precisão.
A Força Aérea Israelense terá que encontrar uma solução para enfrentar este grave problema.

GAZA CONTINUA NAS MANCHETES

O líder do Hamas Sinuar com a jornalista italiana

Na última 6ª feira, a fronteira com Gaza foi palco de manifestações violentas, nas quais mais de 20 mil palestinos tomaram parte.

Embora na 5ª feira tenha sido publicada no jornal Yediot Acharonot e em vários jornais europeus uma entrevista concedida pelo líder do Hamas, Ihie Sinuar, à jornalista italiana Francesca Buri, na qual ele declara “eu digo que não quero mais guerras mas não digo que não vou mais lutar”, certamente a tradução para a língua árabe deve ter sido diferente.

A quantidade de balões incendiários, granadas, dispositivos explosivos que foram lançados contra os soldados israelenses e contra os ishuvim em torno de Gaza ultrapassaram todos os recordes anteriores.

A Tzavá aumentou o contingente ao longo da fronteira para conter as tentativas de atravessar a cerca e o corpo de bombeiros não conseguia apagar todos os incêndios, que devido ao calor e a falta de chuvas, se tornam mais graves.
Muitos manifestantes foram feridos e três morreram atingidos por balas.

De um lado, o Hamas continua em conversações com o Egito para negociar um cessar fogo com Israel e por outro lado, incentiva cada vez mais , as manifestações violentas sob o título de Marcha de Retorno Pacífica.

Abbu Mazzen continua incentivando a revolta contra o governo do Hamas e agravando as sanções econômicas que tornam insuportável o sofrimento da população de Gaza.

O governo de Qatar, com o consentimento de Israel, enviou enorme quantidade de óleo diesel  para aumentar a produção de energia elétrica em Gaza, o que vai permitir o fornecimento de 8 horas diárias de eletricidade , ao invés de 4 horas que a população recebe há anos.

ATO TERRORISTA
O domingo começou mal. O noticiário das 8 horas da manhã anunciou que na zona industrial de Barkan, na Samaria, duas pessoas foram mortas e uma ferida.

Nesta área industrial trabalham mais de 3 mil cidadãos palestinos que vivem em harmonia com os israelenses moradores na região e com os que trabalham, como ele no mesmo local.

O incidente ocorreu em uma das empresas, Indústria de Metais Alon, onde um dos trabalhadores, de 23 anos, que trabalha como eletricista na empresa, residente numa aldeia próxima a Tul-Karem, se dirigiu ao 2º andar do prédio e atirou numa mulher e num homem, ferindo uma terceira.

A mulher, Kim Levengrond-Yecheskel, 28 , mãe de uma criança de um ano de Rosh Haayn e o homem, Ziv Hag’i, 35 , pai de 3 filhos, residente m Rishon LeTzion, morreram no local. Sarah Vaturi, 54, foi ferida e removida para o hospital Beilinson, em estado de gravidade média.

O terrorista fugiu, levando a arma, o que torna a situação perigosa, pela possibilidade de que ataque outras pessoas.
Já decorreram mais de 24 horas depois do atentado e o terrorista não foi encontrado, apesar das intensas buscas.

Espero que na próxima semana possa escrever notícias melhores.

SHALOM ME ISRAEL

Comente