A primeira Valentino, ninguém esquece!

Viajar é conhecer novos lugares, novas culturas, novas comidas e para algumas pessoas, também, consumir o objeto do desejo, que no seu país de origem é uma grana preta, mas no outro lado do atlântico pode ter um preço viável para os simples mortais.

-Não acredito!

-O que foi?

-Olha lá aquela moça com uma bolsa Prada!

-Aqui no metrô? Não é possível!

-Olha lá aquela outra com uma Louis Vitton!!! Nossa!!!! Uma Hermes??? Não acredito! Estou no Paraíso.

-Puxa, esse pessoal do Leste Europeu saiu do comunismo direto para o consumismo. Que mudança, hein?

-Acho o máximo! Estou até pensando em comprar uma para mim.

-Não! Você imagina andar com uma Prada no metrô do Rio???

-Qual o problema?Minhas amigas vão morrer de inveja.

-Será? Não vão pensar que sua bolsa é “fake”? (Risos)

– Olha lá! Aquela loja está com uma liquidação (Gritos).

– Nossa, aquela bolsa Valentino está uma pechincha.

-Vamos comprar?

-Não sei…Acho que prefiro chocolates.

-Você está comparando uma Valentino com chocolates?

-Qual é o problema? Sabe quantos chocolates eu vou poder comprar com o preço dessa bolsa? Uns 30…

No avião…

-Me passa esse travesseiro aí?

-Ué, você já não está com um?

-Não é para mim, é para a minha Valentino. Ela precisa ir bem confortável.

-Você está bem? Desde que comprou essa bolsa, não desgrudou mais dela.

-Claro! Ela não pode ficar sozinha. Agora ela tem uma mamãe para chamar de sua.

-Mamãe?

-Mamãe e Papai. Já liguei lá para casa e pedi para a Balbina arrumar o quarto de hospedes.

-Quando foi a última vez que você consultou um clínico?

-Pode debochar! Agora eu tenho a minha Valentina, não preciso mais de amigas insensíveis…

Alguns meses depois

-Oi , tudo bem?

-Tudo e você?

-Estou de luto.

-Coitada. Quem morreu?

-A Valentino.

-Quem? Não me lembro…Peraí, não vai me dizer que é…

-Ela mesmo! Minha bolsinha amada. Foi sequestrada no BRT. Os bandidos ligaram e pediram uma fortuna para devolvê-la, mas meu marido não quis pagar.

-É mesmo? Por que será???

-Ele tinha ciúmes da nossa relação. A bolsa foi encontrada boiando no Canal de Marapendi… Ficou irreconhecível.

-Coitadinha…Meus sentimentos.

-Obrigada! Mas foi melhor assim. Estava muito apegada a ela e coisa materiais e isso não estava me fazendo bem.

– É verdade…

-Que tal irmos viajar de novo nas próximas férias?

-Ótimo. Para onde?

-Que tal a Croácia? Me disseram que a liquidação outono inverno de lá é imperdível!

Comente